Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

Nós viemos à terra com a missão de resolvermos todos os problemas das nossas vidas anteriores e que nos propusemos a resolve-los.

 

Estamos sempre a depararmo-nos com obstáculos os quais estão na origem das nossas reclamações, nunca os aceitamos como uma prova à nossa evolução.

 

Zangamo-nos por tudo e por nada. Nós temos sempre razão, os outros é que erram. E quando temos aborrecimentos com algum familiar, vizinho ou amigo, o nosso orgulho não nos deixa ver mais longe. Continuamos zangados, a culpa é sempre do outro.

 

Só que não nos apercebemos o tempo que perdemos sem que haja uma reconciliação.

 

O nosso tempo na terra é muito curto e se partirmos sem termos esses problemas resolvidos, um dia iremos voltar as vezes que forem necessárias até conseguirmos resolver tudo só que em situações mais complicadas porque o nosso espírito assim o exige.

 

Estamos sempre reclamando com falta de dinheiro, reclamamos por tudo e por nada e esquecemo-nos que só devemos viver o nosso dia-a-dia com confiança e fé e agradecer a Deus porque naquele dia não nos faltou nada.

 

É urgente que todos aprendam a reconciliar-se com a vida, aceitarem tudo o que têm darem-se bem com todos aqueles que os rodeiam só assim poderão sentir-se bem porque a verdadeira felicidade não é deste mas do mundo espiritual.

 

Quando não tivermos que voltar à terra, teremos a oportunidade de podermos ajudar os nossos irmãos que vivem noutros mundos inferiores à terra e todos aqueles que na terra poderão necessitar da nossa ajuda.

 

Jesus aconselhou a união entre os homens e só com a reconciliação poderá haver paz entre todos os povos.

 

Só assim um dia na terra a vida poderá ser bem diferente.

 

Imaginemos uma pirâmide em que no topo está Deus.

 

Do topo até à base existem os diversos patamares de evolução.

 

Nós estamos sempre em evolução, então também tudo à nossa volta evolui. O sistema solar, todos os planetas e a própria terra estão em constante movimento.

 

Os animais, as plantas e as rochas evoluem.

 

Então se todos caminhamos para a perfeição um dia a vida na terra é perfeita.

 

Desde sempre que existe a evolução das espécies, então quando se fala por exemplo na extinção dos dinossauros eles não extinguiram evoluíram para outra espécie.

 

Hoje existem muitas espécies em vias de extinção, mas isso não acontece porque eles evoluem para outras espécies.

 

Hoje há o problema do degelo do antárctico onde o urso polar está ameaçado, vai evoluir para que espécie?

 

Deveremos preocupar-nos realmente com as espécies em extinção ou deveremos encarar o facto de terem acabado aquele ciclo e evoluírem para outras espécies?

 

Também se não for na terra será noutro planeta mais evoluído onde nós poderemos ser perfeitos, onde não existam doenças ou se existirem nós teremos a capacidade de regenerar as próprias células, também poderemos ter 100 anos e aparentar 20, poderemos comunicar por telepatia, falar com os animais, onde as plantas são lindas, o ar não está poluído, a água do mar e dos rios não estão contaminados e têm uma cor linda e se tudo é perfeito, tudo é lindo.



publicado por isabel-maria às 19:58
Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

Todos somos filhos de Deus, criados à sua imagem e semelhança, devemos saber fazer o bem sem ostentação e isso tem um grande mérito.

 

Todo aquele que faz o bem deverá saber colocar-se acima da humanidade para renunciar à satisfação dos testemunhos dos homens e esperar a aprovação de Deus.

 

Aqueles que só fazem um benefício com a esperança que o beneficiado lhe fique eternamente grato e espalhe a toda a população que aquela pessoa lhe deu uma grande ajuda monetária ou não o que os torna vaidosos e orgulhosos, pois caso contrário não ajudariam. Para estes é mais importante a aprovação dos homens do que a de Deus.
 
Um dia Jesus disse: "os que fazem o bem com ostentação já receberam a sua recompensa” pois todo aquele que busca a sua glorificação na terra pelo bem que faz, já se pagou a si mesmo. Deus não lhe deve mais nada e só lhe resta receber a punição do seu orgulho.
 
Quando se ajuda alguém que necessita sem ostentação deveremos ter algum cuidado, porque para além da caridade material existe a caridade moral e deveremos ter em atenção não ferir a susceptibilidade daquele que ajudamos. Devemos saber fazer com que aceite toda a ajuda sem ferir o amor-próprio salvaguardando a dignidade humana. Pois há quem aceite um serviço mas recuse uma esmola.
 
Converter um serviço em esmola pela maneira como é prestado é humilhar aquele que recebe e há sempre orgulho e maldade em humilhar alguém.
 
Todo o choque moral aumenta o sofrimento provocado pela necessidade.
 
A verdadeira caridade é delicada e habilidosa pois sabe encontrar as palavras certas para colocarem o beneficiado à vontade e saber o benfeitor inverter os papéis encontrando um meio de parecer ele mesmo agradecido àquele a quem presta ajuda.
 
Isto é o significado destas palavras:
 
“Que a mão esquerda não saiba o que faz a mão direita”

 

 

 



publicado por isabel-maria às 23:31
mais sobre mim
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


subscrever feeds
blogs SAPO

CC-BY-NC.png
"CC-BY-NC" por Heflox - Obra do próprio. Licenciado sob CC0 via Wikimedia Commons.