Domingo, 09 de Maio de 2010

Todos sabemos que viemos à Terra para aprendermos a ultrapassar todas as dificuldades que nos aparecem e com isso podermos evoluir.

 

O nosso corpo não é mais do que simples matéria e sem essa matéria o nosso espírito não pode agir na Terra da mesma maneira, que sem o espírito a matéria não pode agir.

 

O espírito é aquilo que dizemos hoje a nossa alma e a alma classifica-se de duas maneiras: alma encarnada e alma desencarnada.

 

Então podemos dizer que a alma encarnada é o nosso espírito e o nosso corpo na Terra, e que só se chama de alma encarnada a partir do momento do nosso nascimento.

 

E vamos crescendo e começamos a preocupar-nos, a ter dificuldades, a tentarmos atropelar-nos uns aos outros sempre tentando ganhar mais, ter sempre mais coisas e tornamo-nos muito materialistas, orgulhosos, vaidosos nem nos lembramos que Deus existe, nem sequer nos preocupamos se à nossa volta existe alguém que precisa de ajuda. E assim vamos levando a nossa vida umas vezes a lamentar-nos outras sempre com vontade de ganhar mais e nunca pensamos que um dia também nós morremos. Só que não sabemos é que tudo aquilo que somos na Terra levaremos para outra dimensão.

 

E quando morremos apenas se dá a morte do corpo e a nossa alma passará a designar-se de alma desencarnada que não é mais do que a libertação do espírito da matéria.

 

E como alma desencarnada que passamos a ser não identificamos a morte do nosso corpo.

 

Continuamos com apego aos bens materiais e apego aos familiares e amigos e assim nós movemo-nos e vemo-nos como se tivéssemos corpo. Sentimos revolta porque falamos com a família e amigos e não obtemos resposta. Isto é o que se passa hoje quando falamos com alguém e não nos respondem.

 

Muitas vezes julgamos ouvir vozes dos familiares e movemo-nos para junto delas e podemos ir parar a sítios completamente distantes dos lugares onde vivíamos, movemo-nos à velocidade do pensamento. Vivemos influenciados por vozes da Terra ou por outros espíritos.

 

Vivemos num mundo paralelo ao da Terra e semi-escuro.

 

Como alma desencarnada podemos ir buscar a escuridão ou a clareza.

 

A visão da alma depende das aflições e mediante as inquietações assim iremos buscar mundos paralelos ao da Terra ou mundos inferiores ou superiores.

 

Vivemos atormentados, tememos a luz, as vozes porque pensamos que Deus nos vai castigar e temos medo da Justiça Divina.

 

 Rejeitamos a voz do nosso Anjo da Guarda que sempre nos acompanhou e nunca nos abandona.

 

Somos obcecados pelos bens materiais.  

 

E só buscamos a identificação de perispirito quando começamos a ter conhecimento da morte do nosso corpo e a escutar a comunicação com o Anjo da Guarda. Com a necessidade de identificar e comunicar chegamos à fase de perispirito porque nos sentimos bem ao ouvir a voz do nosso Anjo da Guarda que é calma.

 

Entramos então no estado de evolução.

 

E como perispiritos podemos identificar a morte ou podemos negar a morte do corpo. Agimos pela mente. Temos alguns conhecimentos e não queremos evoluir. Temos faculdades que não tínhamos na Terra. Aqui existe um princípio evolutivo para proveito próprio.

 

Conseguimos mexer nas coisas, brincamos com aqueles que ainda estão na Terra. Podemos até inquietá-los e atormentá-los dizendo que sabemos tudo sobre eles, tornamo-nos brincalhões podendo até influenciar as suas mentes causando sofrimento.

 

Como temos os hábitos e os costumes que tínhamos na Terra fazemos as coisas sem as pessoas nos verem.

 

E como perispiritos agimos com o mesmo temperamento e falsidade que tínhamos na Terra. Negamos o Anjo da Guarda e qualquer ajuda, tememos a Justiça Divina e acumulamos dividas.

 

Como perispiritos em determinados estados sabemos tudo o que queremos em relação àqueles que vivem na Terra e podemo-nos apresentar como falsos profetas e neste caso estamos no princípio da evolução.

 

Identificamos a Lei Cristã como que a enaltecermo-nos. Fazemo-nos passar por um Santo, falamos de Cristo e de Deus.

 

E neste estado, se tivermos tido mediunidade enquanto estivemos na Terra manipulamos e gerimos quem nós queremos porque nos moldamos perante a identificação dos conhecimentos espirituais.

 

Manipulamos as almas desencarnadas para serem como nós brincalhões e brincamos com as almas encarnadas.

 

Como perispiritos quando vemos a morte e aceitamos que algo nos aconteceu fazemos perguntas e estamos já no acto de perispirito que significa que o nosso espírito está no estado evolutivo.

 

Ao chegarmos a perispirito no princípio evolutivo é porque procuramos a evolução já não temos apegos aos bens materiais é quando damos contas a Deus por tudo aquilo que fizemos.

 

E assim passamos a espírito porque aceitamos a morte do nosso corpo, não temos apegos às coisas materiais nem familiares.

 

Aceitamos as Leis de Deus, reconhecemos os erros que cometemos na Terra e queremos redimir-nos pedimos ajuda a Deus.

 

Aceitamos o que o Anjo da Guarda nos diz, procuramos libertar-nos dos tormentos e buscamos sem receio o estado de evolução. E quando chegamos a este ponto queremos viver no mundo lindo e perfeito que Deus nos proporciona queremos crescer para podermos ser felizes.

 

Como espíritos com algum princípio de evolução procuramos toda a base de ensinamento de Cristo, procuramos toda a acção de graças perante a acção de entre ajuda. Somos a fonte da vida. Somos energia e não temos configuração.

 

Como espíritos somos toda a grandeza de Deus Nosso Pai. Somos filhos de Deus e Deus não nos abandona.

 

Como espíritos no seu todo não temos causas terrenas, nem laços familiares.

 

Temos amor ao próximo e a Deus. Buscamos agir no sentido da evolução. Somos infinitos, não paramos de evoluir, de crescer.

 

Desejamos o nosso aperfeiçoamento e depois deste estado de aperfeiçoamento como espíritos em evolução procuramos nova missão de aperfeiçoamento.

 

É um ciclo de vida nos seus diversos estados.

 

De alma desencarnada passamos a perispirito, a espírito, temos a nossa evolução queremos uma nova missão de aperfeiçoamento, que Deus nos concede e passamos ao estado de esquecimento porque antes de voltarmos outra vez à Terra temos que nos esquecer da missão a que nos propusemos e no principio deste estado de esquecimento já temos o nosso Anjo da Guarda, depois vem a gravidez da nossa mãe dá-se o nosso nascimento e a partir deste momento somos almas encarnadas.

 

E temos sempre connosco o nosso Anjo da Guarda e Santo Protector que só nos abandonam quando chegamos novamente à fase de espírito com algum princípio de evolução.

 

 

 

 

 

 

 



publicado por isabel-maria às 17:50
mais sobre mim
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
blogs SAPO

CC-BY-NC.png
"CC-BY-NC" por Heflox - Obra do próprio. Licenciado sob CC0 via Wikimedia Commons.