Segunda-feira, 08 de Junho de 2009

Estamos sempre a esquecer de sermos humildes, no entanto sem humildade não podemos fazer caridade.

 

A humildade é um sentimento que nos mostra que somos todos irmãos e que devemos ajudar-nos mutuamente e nos encaminha ao bem. Se não formos humildes enfeitamo-nos de virtudes que não possuímos é como se vestíssemos uma roupa para esconder alguma deformidade do nosso corpo.
 
Todos os dias devemos lembrar-nos de Jesus Cristo e da sua humildade que O fez tão grande e elevou acima de todos os profetas.
 
O orgulho é o terrível adversário da humildade.
 
Nós somos todos iguais. Deus não colocou qualquer distinção pelos nossos corpos. A apresentação que temos é a que os homens podem classificar de rico e de pobre e mesmo assim o rico e o pobre colocados ao lado um do outro sem roupa o rico poderá achar-se superior ao outro em virtude do seu sangue ser mais nobre. Mas fazendo análise ao sangue do rico e do pobre não existe uma diferença que lhe classifique a nobreza.
 
Mas certamente o nobre tem o orgulho que por si só faz toda a diferença. Ele considera que quanto mais riqueza acumular na Terra mais méritos terá no Céu. Sem nunca chegar a pensar que se Deus lhe deu a possibilidade de adquirir determinada riqueza não é só para proveito próprio e sim também para ajudar aqueles que necessitam. E que se Deus lhe permite possuir na Terra tal riqueza também a pode retirar de um momento para o outro.
 
O rico deve lembrar-se que um dia também já foi pobre.
 
Devemo-nos lembrar que todos os homens são iguais aos olhos de Deus, somente as virtudes os distinguem. Todos os espíritos são da mesma essência e todos os corpos feitos da mesma massa.
 
Todos os títulos e nomes que possuímos na Terra ficam no túmulo e se um dia desejarmos possuir títulos de nobreza será através da humildade e da caridade.
 
Um dia Jesus disse:
 
“ Graças te dou a Ti, Pai, Senhor do Céu e da Terra, porque escondestes estas coisas aos sábios e aos prudentes, e as revelastes aos simples e pequeninos”.
 
Os simples e pequeninos são os considerados pelos ricos de pobres de espírito.
 
Os simples e pequeninos são os humildes, que acreditam em Deus e que sabem que a vida é eterna. E a estes Deus lhes revela os segredos do Céu.
 
Os sábios são os orgulhosos que julgam que Deus não existe que depois da morte do corpo tudo acaba. A estes Deus lhes deixa a procura dos segredos da Terra.
 
Deus não impõe nada. Poderia mostrar-lhes e provar-lhes a sua existência, mas não o faz não quer abrir-lhes os olhos à força quando eles gostam de os ter fechados.
 
Se eles se recusam a acreditar na existência de Deus é porque o seu espírito ainda não está preparado, porque o orgulho é uma venda que lhes tapa os olhos.
 
Deus não abandona ninguém, Ele sabe que um dia irão abrir os olhos pela sua própria vontade, então irão pedir-lhe perdão.
 
Devemos agradecer a Deus por nos dar oportunidade de estar aqui todas as semanas e ao Irmão que nos ajuda na nossa evolução mas não devemos ficar orgulhosos por aquilo que sabemos.
 
Devemos sim ter mais humildade e com essa humildade fazermos mais caridade.
 
 
 


publicado por isabel-maria às 23:06
mais sobre mim
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


blogs SAPO

CC-BY-NC.png
"CC-BY-NC" por Heflox - Obra do próprio. Licenciado sob CC0 via Wikimedia Commons.