Sexta-feira, 05 de Março de 2010

Todos os dias encontramos alguém que se aproxima de nós para tentar vender um determinado produto.

 

Apresenta-se com uma bonita conversa, usando de toda a publicidade e marketing conseguindo ludibriar muitos de nós que se encantam com o produto de tal maneira que chegam a assinar contratos sem ler, contraindo dividas, que na grande maioria das vezes não têm dinheiro para pagar.

 

Quando nos surgem problemas a nível de saúde, financeiro ou familiar recorre-se à religião e cada vez aparecem mais ordens religiosas. Aqui também há sempre algumas que tentam tirar proveito da situação em que nos encontramos.
 
São sempre os melhores, falam de Deus e resolvem a nossa situação, mas temos que dar a dizima. E um dia pensamos que a nossa vida está na mesma e que simplesmente se aproveitaram da nossa situação.
 
Então começamos a ouvir falar que fulano tal tem escritório na rua tal e que ajuda em todas as situações, essa pessoa faz uniões entre casais, desuniões, resolve o problema financeiro, até faz sair a lotaria, arranja emprego, enfim ele consegue ter a solução para tudo. E nós vamos, as consultas são caras mas o nosso desespero é de tal ordem que nem ligamos a isso. Mas chega o dia em que acordamos e verificamos que além de estarmos mais pobres o nosso estado geral não está melhor.
 
E cada vez mais existem pessoas que vivem à custa daqueles que sofrem prometendo-lhes a resolução de todos os problemas. E sempre falando em Deus.
 
Também temos aqueles que individual ou em grupo gostam de se evidenciar dos outros com a sua arrogância, tirania e ambição.
 
Não serão estes os falsos profetas da Terra que enganam, maltratam e abusam de todos os que necessitam de ajuda?
 
Não teremos o dever de desmascarar estas situações?
 
Deus só confia missões importantes aos que sabe que são capazes de cumpri-las, porque as grandes missões são fardos pesados para os demasiado fracos.
 
Para fazer avançar a humanidade, moral e intelectualmente são necessários homens superiores em inteligência e em moralidade, portanto são sempre Espíritos já bastante avançados que fizeram as suas provas noutras existências e que encarnam para essas missões, porque se não forem superiores ao meio em que devem agir nada poderão fazer.
 
Poderemos concluir que o verdadeiro missionário de Deus prova que o é pela sua superioridade, pelas suas virtudes, pela sua grandeza e pelos resultados das suas obras.
 
Por outro lado se ele estiver pelo seu carácter, pelas suas virtudes, pela sua inteligência abaixo da personalidade que diz ser, não passa de um farsante, um falso profeta.
 
A maior parte dos verdadeiros missionários de Deus ignoram que o sejam. Realizam aquilo para que foram chamados, graças ao poder do seu espírito movidos pelo prazer oculto que os inspira e os dirige.
 
Portanto os verdadeiros profetas revelam-se pelos seus actos e são descobertos pelos outros. São humildes e modestos.
 
Enquanto os outros são orgulhosos, falam com arrogância e como todos os mentirosos têm sempre medo de não serem aceites.
 
Deveremos saber observá-los, sondar-lhes o pensamento e os actos para verificarmos que lhes faltam sobretudo as qualidades de Cristo: a humildade e a caridade. Enquanto lhes sobram as que Cristo não tinha que são a ambição e o orgulho.
 
Deveremos desconfiar dos falsos profetas principalmente numa época de renovação, porque haverá cada vez mais aqueles que se apresentarão como enviados de Deus e não passam de exploradores da fé dos outros e gostam de viver à custa daqueles que lhes dão ouvidos. São todos aqueles que buscam uma vaidosa satisfação sobre a Terra.
 
Todos já sabemos que o nosso espírito sobrevive à morte do corpo e que tudo aquilo que somos hoje como almas encarnadas assim seremos como almas desencarnadas.
 
E como almas desencarnadas, quando sabemos que já se deu a morte do nosso corpo e temos algum conhecimento, antes de chegarmos a perispirito poderemos não querer evoluir mais e servimo-nos dos conhecimentos que temos apesar de serem condicionados e projectamo-nos como se tivéssemos corpo e acompanhamos os encarnados até tomamos banho, sentamo-nos à mesa e dormimos com eles.
 
Poderemos fazer aquilo que nos apetecer. Se tivermos sido umas pessoas que gostávamos de trabalhar projectamo-nos e julgamos que estamos a trabalhar.
 
Quando chegamos ao estado de perispirito estamos conscientes da morte do nosso corpo, ouvimos o nosso anjo da guarda e quando temos algum conhecimento não queremos evoluir mais e usamos os conhecimentos para brincar, fazemo-nos passar por falsos profetas, dizemos ser o Santo A ou B e como a mente do ser humano é um livro aberto, poderemos saber coisas da sua vida que as pessoas até acreditam, poderemos começar a brincar batendo portas e janelas até assustar as pessoas porque isso nos faz feliz.
 
E como não queremos evoluir mais porque o nosso novo estatuto nos dá um determinado gozo até poderemos formar grupos para manipular e dominar almas desencarnadas e encarnadas.
 
Deus quer que a verdade chegue a todos, isto é, em todas as classes sociais, em todas as raças, em toda a parte do planeta existem pessoas com sensibilidades cujas mediunidades são desenvolvidas porque todos devem ter acesso às leis de Deus e ao verdadeiro conhecimento da espiritualidade.
 
Todos os médiuns deverão ter muito cuidado para que não fiquem obcecados por algum falso profeta dominante que se gaba de um nome que todos os espíritos encarnados e desencarnados devem honrar e respeitar.
 
Uma das características destes falsos profetas é o de quererem impor-se e fazer aceitar as suas ideias extravagantes e sistemáticas e pretenderem sustentar uma opinião, estarem com a razão contra toda a gente, evitam a discussão e quando se vêem combatidos pela lógica recusam responder. Tentam manipular os médiuns afastando-os de outros grupos onde as suas ideias não são aceites.
 
Portanto poderemos concluir que devemos ter muito cuidado e não acreditar em tudo o que nos é dito.
 
Um médium deverá tomar muitas precauções para não ser enganado. Teremos que aprender a distinguir o bom espírito de um falso profeta para não nos tornarmos nós em falsos profetas.


publicado por isabel-maria às 23:08
« Deus só confia missões importantes aos que sabe que são capazes de cumpri-las, porque as grandes missões são fardos pesados para os demasiado fracos.»
Já vi que você e Deus são unha com carne. Você parece saber EXACTAMENTE o que Ele pensa e faz.
Fulano a 8 de Março de 2010 às 18:45

Deus é uma fonte de vida infinita. Deus é todo o universo visível e invisível aos nossos olhos. Deus é amor. E todos somos filhos de Deus feitos à sua imagem e semelhança. Todos somos feitos da mesma energia e a essa energia nós chamamos de Espírito.
Nós somos almas encarnadas na Terra compostos por 3 elementos:
O Espírito - que é a nossa força;
O Corpo Espiritual ou Perispirito - que envolve o corpo carnal mas de composição não espiritual e não é visível ;
O Corpo Carnal ou Corpo Material - sem o qual não nos é possivel viver sobre a Terra.
A Terra é um local de progressão. E todos trouxemos uma missão que nem sempre sabemos cumpri-la.
O Sr. provavelmente reparou que existem pessoas que por qualquer coisa fazem verdadeiras tempestades, revoltam-se por tudo e por nada e muitas vezes nós consideramos que têm uma boa vida. Enquanto existem outras que vivem com graves problemas e conseguem ser mais felizes. Aceitam os problemas sem revolta, com humildade, fé e esperança.
Não estarão estas pessoas a cumprir uma grande missão?
E esta missão não será um fardo demasiado pesado para aqueles que por qualquer coisa fazem as verdadeiras tempestades?

isabel-maria a 9 de Março de 2010 às 00:11

Quando Cristo nos diz que veio para que tivéssemos a vida com fartura, colocando o seu rebanho numa terra farta de água e pasto,
é quase como sair do deserto para a planície verdejante.Em termos de qualidade de vida e de evolução civilizacional, a Europa tem-se revelado como motor de comboio que transporta quase tudo o resto
atrás de si.Se existem níveis de cidadania?É claro que sim!O Poder não é para todos e o Comércio é a verdadeira fonte que gera a riqueza.Há ainda a mão-de-obra e um sub-mundo marginalizado onde se movimentam interesses obscuros.Se há um direito á vida com fartura este só pode ser iniciado pela nossa conversão á realidade emergente e esta é diferente ao longo dos tempos.Este Reino é sem fim e depende apenas de nós o nosso lugar no futuro próximo.Os erros impedem de seguir em frente pelo que a procura da perfeição impõem-se. livrar-nos de dívidas e comportamento pecaminoso é crucial.
Quem virá bater-me á porta naquela hora?
Um abraço.
francisco a 17 de Março de 2011 às 18:10

mais sobre mim
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


blogs SAPO

CC-BY-NC.png
"CC-BY-NC" por Heflox - Obra do próprio. Licenciado sob CC0 via Wikimedia Commons.